Seguidores

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

O amor dá-se...

Gosto de sonhar,
vestido de esperança.

Sonhos belos
que me dão bonança,
sonhos agitados
com turbulência,
que me fazem acordar,
perder a paciência
e aprender:
que amigos
são os que merecemos:
com amor, dedicação,
carinho e compaixão!
Os outros,
apenas são conhecidos…

O amor dá-se,
não se empresta…

José Manuel Brazão

domingo, 30 de outubro de 2011

A vida como ela é....

Tantos são os dias ruins
Os dias que nos entristecem
Nos deprimem
Mas eles passam...
E chegam outros dias
Trazendo muitas alegrias
Na vida de cada um de nós
Renovando nossas esperanças
Nos dando força para seguirmos em frente


Esta semana li algumas histórias de vida  contadas por seus próprios protagonistas, ou por alguém muito próximo.
Quase todas tristes. Uma trágica, extremamente  chocante..Tão chocante que tentei por três vezes comentar e não consegui.  Isso me fez refletir muito.
Algumas de amigos, outras de desconhecidos, mas nem por isso deixaram
de me tocar profundamente.. Somos todos humanos...
Quantas coisas acontecem pelo mundo afora enquanto eu estou aqui confortavelmente
sentada nesta cadeira .
Queria ter uma palavra de conforto para dizer a cada uma dessas pessoas que passam
por tantos sofrimentos. Uns mais, outros menos, alguns apenas coisas de momento, outros, sofrimentos que se estendem pela vida toda, mas todos merecedores de uma palavra amiga, um carinho.
É... esta semana foi difícil....
Quero deixar um abraço a todos os autores que com suas histórias me ensinaram
muitas lições , muitas reflexões a serem feitas.
Aos meus amigos  meu carinho especial.
Embora distantes, estamos sempre perto de alma e coração.

Beijo carinhoso

E vamos...porque o tempo não para!
E a nossa vida seja ela do jeito que for é a nossa vida.E é rara...
ÓTIMA SEMANA PRA TODOS!!!!!!!!!!!!

regina ragazzi

sábado, 29 de outubro de 2011

Uma canção

De olhos fechados tudo é possível
Não, não diga que não pode ser
Eu vejo o que eu quero ver
E eu vi. agora a lua sorrir pra mim

Eu sei...parece impossível
Você vai dizer que estou sonhando
Mas eu lhe digo
De olhos fechados tudo é possível
Não, não diga que não pode ser

E se eu disser que eu sou uma flor?
E que o vento levou meu perfume até ela?
Sim, eu sou uma flor , acredite!
De olhos fechados tudo é possível

Já é quase madrugada
E não estou mais sozinha
A lua me faz companhia
E agora sou eu que estou sorrindo
Não, não diga que não pode ser
De olhos fechados tudo é possível


 regina ragazzi

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Até um dia...

Até um dia
não sei  quando será,
mas sei que amanhecerá
em nossas vidas
para receber alegria
e findará a fantasia!

E nesse até um dia
diante de nós a realidade
com a esperança
dum acordar promissor
para continuar este amor,
grande amor pela Vida!

José Manuel Brazão

Se o amor vier de longe

Na força deste amor
não se conhecem distâncias
e se as houver
existem asas do amor
para unir corpos e almas
num encontro
de amor e paixão
num elo de verdadeiro sentir,
no calor do olhar
além de toda a distância!

José Manuel Brazão

E se houver amor, mesmo que distante, ame por inteiro!

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Quem sou eu?

Sou as flores do campo
Sou a brisa do mar
A alegria e a tristeza
O Coração e a razão
Sou pés firmes no chão
Sou um anjo a voar

Sou o doce e o fel
Sou o ódio e o perdão
O vermelho e o preto (branco não!)
Sou stress, sou calmaria
Sou desejo e poesia
Sou criança, sou mulher.

Eu sou a melodia
Sou a chuva e o sol
Sou verdade e mentira
Sou complexa e tão simples
Porque sou apenas EU.

regina ragazzi

Estou tentando resgatar a poesia em mim e encontrar esses meus primeiros versos foi muito bom.´Foi como encontrar a mim mesma. Relendo-o agora percebo que esta será sempre a descrição mais autêntica que consegui fazer de mim mesma.
rs... esta é a Regina poeticamente descrita por ela mesma...

 Regi
E és mesmo...
Uma grande Alma e uma Amiga exemplar.
Beijo do ZÉ

domingo, 23 de outubro de 2011

Olhos de mel

Quando te encontro,
deparo com teus olhos,
admiro-os, já lhes chamo:
olhos de mel.

Tu és ternura,
doçura,
que me fascina
em ti: mulher!

És doce comigo,
irradias alegria,
simpatia.

Sinto a tua amizade,
banhada
pelas tuas lágrimas
de mulher solidária,

Limpo as lágrimas,
olhas para mim:
 não esquecerei
esses olhos de mel…

José Manuel Brazão

O que parece belo ao teu olhar??

O que parece belo ao teu olhar?

Uma chuva caindo cedinho
Gaivotas voando
Nuvens formando desenhos no céu
O cântico dos anjos
Arco-íris
Névoa cobrindo a estrada
Caminho de flores
Estrelas salpicadas no céu
O sorriso de uma criança
O cantar do pássaro
A mão que se estende
O slêncio cúmplice
O sol se pondo
A explosão das ondas nas pedras
O vemto ...
Um rosto
Um corpo bonito
Um olhar...

O que parece belo ao teu olhar??

regina ragazzi
i
Lindo poema... nada é mais belo que o olhar de quem amamos.

Um beijo amiga XD

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Palavras sorrindo


Quando te leio
ou ouço,
sinto
as palavras sorrindo!

Palavras envoltas
em generosidade,
que só tu sabes…
Conforto-me
com a tua imagem,
sempre atenta
no meu bem estar!

Nada pedimos,
apenas
laços de amor
nesta felicidade,
vestida de amizade,
neste caminho
de encanto,
muito encanto!

Palavras,
palavras sorrindo
e sentimo-las…

José  Manuel Brazão

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Os poemas que escrevi para ti Poeta!

Foram tantos
e tantos poemas,
poemas de amor
que te escrevi!

Tu e eu
nascemos para a Poesia,
para encantar os outros,
alimentando as suas almas!

Quantas vezes
sofríamos nas nossas Vidas
e a inspiração,
superava tudo isso!

Os poemas que te escrevi,
sentidos pela voz do coração,
derramaram amor,
muito amor,
que te comoveram
e davam forças
para sair de ti
Um outro poema,
suave,
expressivo,
emocionante,
iluminando
quem o lesse!

Dos poemas que te escrevi,
ficam os sentimentos,
nas palavras
que o Poeta não renega
e guarda em seu coração!

José Manuel Brazão

Que lhe seja a vida de todas as cores

Há um novo tempo
para se viver
Uma nova semente
que germina em algum lugar
Uma flor de doce fragância
se espalhando no ar
levada pelo vento

Há um novo sonho
um novo momento
a ser vivido intensamente
Paisagens de cores diferentes
frente ao teu olhar

Há alguém esperando
para te fazer feliz
Ver estampado em teu rosto
um novo sorriso
Há uma alma a procutra da tua
Um coração pronto para
se juntar ao teu
Há sim... basta esperar... desejar...

É hora de ser feliz
De trilhar um novo caminho
De deixar para trás
todos os espinhos
que te feriram
E recomeçar

Porque lembre-se
O TEMPO NÃO PARA
A VIDA É TÃO RARA...

regina ragazzi
Um beijo carinhoso a todos
Valeuuuuu   Poesiaaaaaa !!!!...

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Sereia do amor!

Vejo o mar,
contemplo o horizonte,
penso na natureza,
como é bela a criação
de tudo o que vemos,
sentimos,
damos
e recebemos!

Vejo o mar
contemplo o seu vai-vem,
sinto o seu cheiro
que Inspira o poeta!

Vejo o mar
e penso na minha poesia;
encontro nesse mar
o motivo para um poema,
que me leva àquela mulher,
que será
como sereia do mar,
uma sereia do amor!

José Manuel Brazão

terça-feira, 18 de outubro de 2011

Minha morena amiga

És a morena
mais linda que conheci;
teu coração derrama
o carinho que preciso,
um amor amigo
que te leva a gostar muito
do homem que sou
e não te cansas
de ecoar aos ventos
o poeta que escreve
o amor,
esse amor que ferve em ti
e que tão bem expressas
em poesia e que dás à Vida!

Eu, teu amigo de coração
te darei sempre a mão,
minha morena amiga
sempre, mas sempre!

José Manuel Brazão

O beijo




Entre a minha boca e a tua
Há um instante de espera
Um tempo que não se completa

Entre o tempo e a boca
Um duelo silencioso
A calma e a urgência

Em nossas bocas ...desejo

Distante de nós... o beijo


regina ragazzi

Espelho meu

Espelho-me em ti,
viajo pelo teu corpo,
beijo-te com fervor
pelo amor
que me entregas,
pelas sementes
que existem em ti
e perdidos
quebramos os espelhos
enfim.

José Manuel Brazão


A minha vida anoitece...

Sinto a nudez da noite,
que esfria a minha alma!

Sinto a noite perdida
entre sonhos
e imagens reais!

Sinto a noite esquecida
de outras noites belas,
de encanto, paixão,
amor,
muito amor!

Sinto a noite pervertida
causando dor
que mal aguento,
me entristece,
perdendo a alegria
que me fazia viver!

Sinto a noite
mais noite,
a minha vida anoitece…
… e não sei se amanhece!

José Manuel Brazão


* Um dos primeiros poemas da minha carreira e o segundo mais lido até aos dias de hoje! *

Muito obrigado à Poesia, aos leitores e aos Poetas.
Beijos e abraços  
José Manuel Brazão






segunda-feira, 17 de outubro de 2011

A Mulher e a rosa

Olhando uma rosa,
vejo uma mulher!

Acariciando uma rosa,
acarinho uma mulher!

Tratando de uma rosa,
dou estimulo a uma mulher!

Admirando as pétalas de uma rosa,
dou pétalas de amor a uma mulher!

A mulher e a rosa
são a beleza
oferecidas pela Natureza!

José Manuel Brazão

Cria disse...
Palavras impecáveis e extremamente belas, verdadeiramente !! Beijo carinhoso, obrigada por teu carinho !!

Repousarei em mim...!

Na minha Vida
tudo te dei, pensando
que te sentisses feliz
ou com momentos felizes!

Senti no silêncio das palavras,
que a chama viva do Amor
se apagava lentamente
com a agonia do tempo!

Com palavras
rompidas no silêncio
dizias que morava em teu coração!

Bati à porta dele
e ninguém respondeu:
Ontem, hoje;
e amanhã
repousarei apenas em mim...
guiado para águas tranquilas
e nada me faltará !

José Manuel Brazão

Toda vez que te leio, tenho a sensação de estar diante do poeta, e eu observando o seu lápis e o seu borrão,  A cada movimento da mão, um verso por convenção, e então no final , encerado o poema, você estendendo o braço, a dizer, taqui você  é o primeiro a ler, é assim mesmo queria eu ser sempre o primeiro a ler-te, sabe porque caramba, jogo aberto; é uma delícia de leitura face a inspiração: "Com palavras rompidas no silêncio" Manuel, se eu for fazer meu gosto, passaria a noite inteira comentando esse verso; palavra como sinônimo de arquétipo, a constituir impérios vocálicos, esbanjando, rompendo, estraçalhando, mentes e porvir, sim! porque as palavras tem poder, Deus criou o mundo com palavras e aqui o poeta se estende com a amplidão do silêncio do cosmo, palavras com referência da singularidade rica e performática dum poeta chamado Manuel Brazão.     Mário Bróis.



Essa sua página está lindíssima zé.Seu poema um dos mais bonitos que li e o comentário do Mário complementa e faz tudo ficar perfeito.Um grande momento poético de dois super poetas talentosos os quais tenho a maior admiração. Parabéns aos dois. Bj carinhoso

Caminhemos ... (dai-me forças!)

Tanto caminhei,
tanto amei
e amo,
tanto ajudei
e fui ajudado!

Tanto caminhei
procurando momentos felizes,
ver os outros nesses momentos
e ficar reconfortado!

E agora?

Caminho,
caminhemos (dai-me forças!),
com paz interior,
amor, sempre amor,
até ao sorriso final!

José Manuel Brazão 


domingo, 16 de outubro de 2011

Minha força, minha luz...


Há essa luz que sempre surge do nada
Tão quente e inesperada luz
reascendendo meu olhar
cansado e emudecido
Abraçando a parte que
em mim já era abandono
Paisagem fria e descolorida
Árvore de galhos sem vida
que agora rego com as lágrimas
que de meus olhos deslizam

Essa luz é calor e lenitivo
para a inquietação que
vive em minh'alma
É o conforto exato e preciso
que me chega nas horas em que
me sinto avessa ao mundo
e a mim mesma
Essa luz é o sol diário que necessito
para seguir firme o meu caminho
É o que tenho de mais precioso dentro de mim
Minha força, minha luz ...

regina ragazzi

sábado, 15 de outubro de 2011

O silêncio em nós!

O nosso silêncio
é uma constante
e por cada instante
avivam-se os pensamentos
perante os sentimentos
de amor e paixão
no teu e meu coração!

Nos desencantos da Vida
pensamos em nós
e aí a Vida se transforma
criando cor,
parecendo um arco-iris
só para nós, TU e EU!

José Manuel Brazão

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Habituei-me ao silêncio

Este meu silêncio faz parte de mim
como uma vontade legítima;
um grito de alma que ecoará
por terras e mares!

Fomos queridos,
amados e bajulados,
acreditámos com boa fé!

Habituei-me ao silêncio
da ausência, da omissão,
da mente confusa,
do labirinto da mentira!

Apenas resta
uma vida iludida
e depois desiludida,
guardando no peito
lição de vida sobre o fingimento
estado de alma para cada dia
 “amor” com sabores
e humores diferentes
conforme o desejo
para aquele dia!

Ilusões...
na Vida lições,
que nos ensinam,
mas fortalecem
a nossa forma de viver
com cabeça e mãos limpas!

José Manuel Brazão

Tristeza em mim...

Tive uma companheira
que criou uma amizade
sempre leal;
foi sumindo e deixou
vir até mim
essa tristeza que sufoca
limita  e agoniza.

Olho e volto a olhar
para o que  me rodeia;
vejo o que não quero ver
e tento ignorar o que sinto!
Mas não suporto
e quero muito viver
como mensageiro do amor
em vez de existir!

Acredito e tenho esperança
que essa Amiga (alegria)
ficará em mim
a todo o instante da Vida!

José Manuel Brazão

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Terra do nunca

Sonhaste demais
não querendo acordar;
tudo parecia belo,
belo demais!

Tudo tem um tempo,
mas acordaste mal,
viste a realidade,
tudo te passou ao lado;
o belo, o absurdo,
a mentira e o “inferno”!

Hoje desavinda com a Vida,
resta-te o anjo menino
numa terra do nunca!

José Manuel Brazão

* O que importa verdadeiramente é o anjo menino ser feliz no dia após dia *

terça-feira, 11 de outubro de 2011

Naquele dia…desabou o Mundo em mim!

Domingo
manhã cheia de sol,
pedia passeio matinal.
Parti para o passeio habitual.
De repente,
dor aguda inesquecível,
transformou aquela manhã
cheia de sol,
numa tarde gelada,
numa noite estrelada.
Tarde gelada
sem destino!
Noite estrelada
pensando que na casa celestial
o João me esperava.
Não parti
e naquela hora
tão pouco nos separava!
Alguns choraram,
mas não chore quem me amam.
Nunca me senti tão sereno,
tão bem comigo!
Antes só pensava no futuro
e ficava inseguro!
O dia chegará, quando não sei!
Gostaria que fosse o João
a receber-me:
tanto amor me daria…!

9 de Dezembro de 2001

José Manuel Brazão

* O meu primeiro poema em Abril de 2002.
O meu destino poético: ser mensageiro de Amor *

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Façamos amor de pele

Nosso pensamento
vive em constante
saudade
sem explicação
para uma ansiedade
 no coração pulsante
sentindo o cheiro dos corpos,
faltando o toque
desse amor de pele
em corpos deslizantes!

José Manuel Brazão

domingo, 9 de outubro de 2011

Sonho de amor

Sonhas
com o amor ideal
e paixões vagueantes,
palavras sedutoras
em noites delirantes
de prazer sem fim.

Sonhas por mim,
com o mistério
de ser quem sou
e de não me teres.

Sonhas em cada noite
o amor que desejas,
o amor que esperas,
com o teu coração,
suspirando entrega.

Sonhas
delirando amor,
muito amor!

José Manuel Brazão

Sonhos

Todos os sonhos me levam ao infinito
O que sonho não está aqui, está além
Onde nem eu mesma sei... não entendo
Meus sonhos são procuras silenciosas
São azuis que meus olhos contemplam
Em todas as manhãs e noites que vivo

Gosto de olhar o céu , saber que ele existe
A cada dia uma nova paisagem se desenha
Por sobre toda a imensidão
E minha alma se veste dessas cores com alegria
Mesmo que ela se vista de cinza
Porque ela sabe que haverá um outro dia
E novas cores....

Há no céu uma beleza que seduz o meu olhar
E uma paz que me chega tão intensamente
Vinda de algum lugar mais distante
Onde não consigo enxergar, mas eu sinto...

Há um mistério nesse infinito,
Que nunca vou desvendar
Mas eu sonho e nos meus sonhos
Muitas vezes minha alma
chega perto,muito perto de lá ...

regina ragazzi

Serei assim até ao fim!

Nesta caminhada,
aprendi o bastante,
para nesta vida constante,
me entregar!

Errei.
muitas vezes
por imaturidade,
ignorância,
rebeldia,
mas nunca por saber tudo !

Procurei
compreensão,
tolerância, compaixão!
Pouco recebi…

Virei
a página da vida,
que me enganava,
me torturava,
sem saber o porquê?

Mudei
sinto-me bem comigo
e com os outros!.
Cada porta fechada,
agora está aberta!
Respiro
como nunca respirei!
Dou um sorriso
e recebo muitos!
Dou amor
recebo muito;
com carinho,
afecto, beijo,
sorriso e respeito!

Encontrei
o equilíbrio, a lucidez,
para me entregar
aos outros
que amam
ou que de mim precisam!

José Manuel Brazão

sábado, 8 de outubro de 2011

Pássaro errante

Abandonou o ninho
E num voo sem destino
Ganhou o infinito


Pássaro errante
Acostumou-se à solidão
Aos dias frios de inverno
E às noites quentes de verão


À procura de um lugar
Em que sentisse fosse seu
Nunca conseguiu encontrar
E o pássaro envelheceu ...

regina ragazzi

Amanhecer


Amanheceu assim
Num mundo sem poesia
Cama fria, vazia
Sem os sonhos que outrora
Lhe fizeram companhia
Nas tardias madrugadas outonais

Um amanhecer sem versos
Para compor a canção do dia
Sem emoções
Para escrever nas entrelinhas
Sobre amores e paixões
Que as lembranças lhe traziam

Apenas um amanhecer sem luz
Com nuvens negras escondendo o sol
Um dia de chuva e temporal
Dentro e fora de si
Lembrando que a felicidade
Um dia passou por ali ...

regina ragazzi

Sinto saudades do futuro!

Saudades
palavra tão intensa,
que viveu sempre comigo,
quer por um amigo,
quer pela família imensa.
Saudades
da vida que escolhi
e nem sempre vivi ...

Saudades
da vida com alegria
que vivia.
Saudades
do amor ao próximo,
da tolerância,
da humildade,
do perdão.

Batendo o meu coração,
como um homem de Fé,
sinto saudades da Esperança,
sinto saudades do Futuro ...

José Manuel Brazão

Um lugar de paz

Mesmo sendo imensidão
Me sinto mais acolhida
Ainda que seja infinito
Aqui estou protegida
Minha alma repousa,tranquila

São tantos os meus questionamentos
Mas quando estou assim
Tão mais perto do céu
Encontro todas as respostas que preciso
E tudo o mais passa a ser tão pequeno
E tão sem importância

Aqui descanso as minhas inquietações
E encontro as razões porque vivo....

regina ragazzi

Pérola poética

Escrevi palavras,
muitas palavras,
com pensamentos
e sentimentos,
que fizeram de mim
um homem
com momentos
de beleza e tristeza,
de encanto e amor!

Escrevo o que sinto
na minha poesia...
Poesia
que se revejam nela
como um reflexo da Vida!

Reflexo
do que observo,
sinto ou desejo!

Para uns
são pérolas poéticas,
para mim
apenas as minhas pérolas!

José Manuel Brazão


Dedico à minha querida Amiga e Poeta Marilandia Marques Rollo a quem devo o título do poema.