Seguidores

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

Sonhando e voando


Vem...
Abra a janela deste teu olhar
Salte e se acomode em minhas asas
já que ainda não sabes voar
Deixa que eu te leve ao infinito
Te mostre os sonhos que visualizo
As formas  as cores...
Os cheiros que eles têm

Vem...
Não tenhas medo... não há perigo
Sonhar não faz mal a ninguém
Segure-se em mim bem firme
E me deixe apenas te mostrar
Que este mundo existe
E que podes sonhar também
Os teus próprios sonhos
Voar... com tuas próprias asas

Solte-se... bem devagar...
Voe entre o céu e o mar
É tua toda esta imensidão
Não tenhas pressa pra teu sonho acabar
Deixe-o acontecer o tempo que durar
O tempo que ele possa
 mesmo em sua impossibilidade
Te realizar...

regina ragazzi

[....]

Os sonhos que tiveste
que te fazem viver,
acreditar,
ter fé e esperança
num novo amanhecer,
mas que te desiludem,
quando abres os olhos
e não queres acordar!

Vives sonhando
para te alimentar a alma,
sempre atenta
ao mundo que te rodeia,
que não é o que desejavas,
como mensageira de amor,
mas chega-te a nós
e seremos muitos
para isolar os nocivos
e a proteger
a bondade,
a generosidade,
a solidariedade,
tudo isto apenas
com a nossa sensibilidade
que está sempre em nós!

José Manuel Brazão

sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

Esses olhos tristes


Esses olhos tristes
Olhos de outono
Como viajam esses  olhos
de cores sombrias!
Olhos de noite,
de madrugadas insones
Olhos que miram o horizonte...

Ah... esses olhos marejados
Visão embaçada
Tão tristes e tão belos
O que verão nessa estação?

Olhos amenos
Olhos de poesia

Ah ...esses olhos
emoldurados por um rosto
tão bonito!
Por que será que neles nunca é verão??

regina ragazzi

segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

Uma alma amanhecendo


Hoje meu dia amanheceu triste
Talvez seja o sol que não apareceu
Cai uma chuva fina lá fora
Em mim escorrem rios de lágrimas

Minha alma se encostou a um canto
Não quer mais sair de lá
Tenho pena dessa alma que chora
E nem sabe quando vai parar.

regina ragazzi

[....]

O nosso amanhecer será radioso,
nascerá dentro de ti
e passarei a vivê-lo!

O anoitecer não o verei,
esquecerei!

Nosso amor estará vivo,
com o amanhecer,
após outro amanhecer…
… e assim será…
até sempre!

José Manuel Brazão

sábado, 8 de dezembro de 2012

Sonho


Sonho pela vida
que não tenho,
que procuro,
e que luto
neste silêncio
que me acompanha!

Sonho
com a família
dispersa, distante,
com a saudade constante,
de um homem
que disfarça ser feliz!
Que vive angustiado,
dando amor
aos que se lembram dele,
lhe aliviam a dor,
o acarinham, o admiram,
o amam,
fazendo esquecer,
as sombras da vida!

Sonho
com a felicidade,
que bate à porta
de cada um
e que um dia
encontrará
minha porta aberta,
para viver em paz
o resto do meu caminho!

José Manuel Brazão

"Sonhe com o que você quiser. Vá para onde você queira ir.
Seja o que você quer ser, porque você possui apenas uma vida
e nela só temos uma chance de fazer aquilo que queremos.
Tenha felicidade bastante para fazê-lo doce. Dificuldades
para fazê-lo forte. Tristeza para fazê-lo humano. E
esperança suficiente para fazê-lo feliz."
Clarice Lispector

sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

Na noite fria


Se encolhia todo num canto
 O corpo cansado tremia
 No rosto a palidez
 No peito nenhuma alegria

 Dormia sempre ao relento
 E naquela noite tão fria
 Veio chuva e rajadas de vento
 Destruindo o pouco que tinha

 Era tanto o sofrimento
 Que a Deus ele pedia
 Um pouco mais de piedade
 E a morte que alivia.

 regina ragazzi

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

Meus poemas


É no peito que guardo meus melhores poemas
 Arquivo de todas as minhas emoções
Rabiscos que traço somente em pensamento
 Rascunhos que faço sem usar as mãos

Meus poemas por vezes são jardins abandonados
 Onde crescem ervas que não consigo arrancar
São dias de chuva, beiras de precipícios
 São pedaços meus que não posso juntar

Por outras vezes são janelas que ficam abertas
 Por onde entram a luz do sol, das estrelas, do luar
 São rios calmos longe das fortes correntezas
São paisagens coloridas que se refletem em meu olhar

É no meu peito que guardo meus melhores poemas
Arquivo de todas as minhas emoções
 Meu livro secreto, somente eu o leio
 E é nele que aprendo as  maiores lições

regina ragazzi

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Quando me olhares


Quando me olhares
Procure ver a essência do que sou
Náo se atenha apenas
a superficialidade das aparências.
Eu sou a boca que mesmo calada
Fala.
Sou os olhos que mesmo fechados
Enxergam.
Sou a máscara que retirada sangra
E sangra, e sangra...
Sou a dor mais doída
A interrogaçäo no fim da frase
O cansaço ao fim do dia.
Eu sou o recomeço ao amanhecer.

regina ragazzi

segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

Aprendiz da Vida


Amanheci com o Sol invadindo meu corpo
e aconchegando meu coração
sempre caloroso e pronto para a Vida!

Vida que vivi e ansioso por um amanhã
de aprendizado e evolução
que ajude o Homem sedento do Bem
e se reflicta nas minhas palavras em Poesia!

Serei assim nesta Vida e para além do azul
que espero serenamente!

José Manuel Brazão

* O Poeta não se esquece da emoção ao criar este poema!


http://www.youtube.com/watch?v=gfc-AMFSoHM


José Manuel, que maravilha, amigo irmão! O seu poema chegou a mim e penetrou, transmitindo-me o amor pela vida, a esperança no Homem, que, acredito, nasceu para o Bem. Esperança no mundo que busca a felicidade no novo dia que nasce, que se renasce.
Um grande abraço
Manuela

domingo, 2 de dezembro de 2012

Confissão


Pequei,
Quando amei menos
Do que deveria amar
Quando doei menos
Do que poderia doar
Quando fechei os olhos
Só pra não enxergar
Pequei,
E levo meus pecados
Como sombras apoiadas em meus ombros
Cochichando aos meus ouvidos
O tempo todo a me lembrar
Pequei, sim,
Eu confesso
E agora a culpa que carrego
Não me deixa descansar
regina ragazzi

sábado, 1 de dezembro de 2012

Partidas


As mãos acenavam tristes
 Dos olhos escorriam
 duas lágrimas de dor
 Um adeus ao filho amado
 Que a morte não poupou

 São tantas as mães que sofrem
 A perda de um filho querido
 No peito fica a saudade
 Na boca o sorriso perdido

 Mulheres fortes ... guerreiras
 Aguentam toda essa dor
 Vivem agora das lembranças
 Que o filho amado deixou

 regina ragazzi

sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Cacos


“Os cacos da vida, colados, formam uma estranha xícara.
Sem uso, ela nos espia do aparador”
Carlos Drummond de Andrade

Juntei meus cacos, meus trapos, meus laços
e  refiz minha história.

Mas sobraram pedaços
que não se encaixavam em lugar algum.

Com eles, tentei me reinventar
numa outra história
Deixando de lado
os velhos cacos, e trapos, e laços
Guardados, intactos
em algum lugar do meu passado.

regina ragazzi


quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Tuas mãos


Gosto quando tocas em meus cabelos
Quando acaricias meu rosto com leveza
Quando seguras com firmeza minha mão
Nas horas de minhas angústias

Gosto do toque de tuas mãos em meu corpo
Nas nossas noites de amor
Das mãos que estendes
Quando me chamas pra junto de ti

Gosto quando secas minhas lágrimas
E me acalmas
Falas comigo através de tuas mãos
Não precisas de palavras
Ao segura-las
Não tenho medo de nada

Amo as tuas mãos

regina ragazzi



quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Nostalgia



Cada dia que nasce
a nostalgia percorre
teu corpo e alma
e fica dentro do teu coração!

Vives com olhar distante
vindo até mim,
olhas-me em imagens,
nas palavras e pausas...

O olhar se aproximou,
beijas os poemas,
sentes o perfume romântico
de cada um
- viveste dentro deles –
queres evitar de reler e reviver,
mas não consegues,
a nostalgia vive em ti!

José Manuel Brazão


quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Meu Poema, minha Vida!


O espelho que não mente


Olho-me em ti
como meu companheiro
de todas as horas
vivendo as minhas angústias
por erros que não apagam
por amor que se pensou bem doado
vivendo as minhas tristezas
por querer ser melhor hoje do que fui ontem
na busca de me amar
para saber amar os outros
numa luta pela Vida
sempre constante, sem dimensão...
vivendo as minhas alegrias
dum sol nascente
com raios de esperança
e pensamento seguro
num caminhar
com corpo e alma renovados
e  a mão divina
ensinando o caminho libertador!
E olhando para ti
espelho da minha Vida
pela minha face lágrimas
com mistura de verdade e esperança,
 uma força que vive em mim
e com humildade aceitar
os desígnios de Deus
num destino que em mim existe
e olhando-te meu espelho da Vida
tu nunca me mentirás!


José Manuel Brazão

* Quem me conhece, sabe que este poema é mesmo um espelho de mim *


Ah.... eu ainda sou assim...

eias
Sou a 
Ah ... eu sou assim!
Às vezes alma
Às vezes corpo
Lúcida e louca
Certinha ou destrambelhada

Ah ... eu sou!
Um rio de lágrimas
Ou uma intensa gargalhada
Sou vida formigando nas veias
Sou a maior hóspede do precipício...
Sou silêncio absoluto
Ou falo pelos cotovelos

Eu sou essa mulher sem sentido
Cheia de nós
Mas tenho um coração
que não para de pulsar
e exteriorizar sentimentos

Porque são tantos
que não cabe guardá-los
Só pra mim,
aqui dentro do peito ...

regina ragazzi

domingo, 11 de novembro de 2012

Já não chega a saudade do teu olhar


O teu olhar
levou-me à paixão.
depois ao amor!

É um amor sem limites,
sem hesitação,
bebendo as tuas palavras,
a tua dedicação,
o teu amor em silêncio,
por vezes escondido,
outras vezes assumido!

Ninguém roubará
este amor que corre,
que se alimenta em nós!

Já não chega
a saudade do teu olhar...

José Manuel Brazão

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Gris...


Sou vestida de cinza
e já nem me importo
Sou das manhãs frias,
dos dias de chuva,
dos nostálgicos outonos.
Do silêncio,
da madrugada,
da lágrima,
da solidão...
Essa solidão fincada no peito
nasceu comigo e morrerá assim
Tudo bem,  é perfeito pra mim

O que sou me fez enxergar
a beleza rara do gris
(nem todos têm esse privilégio)
Mas não me impediu de ver
o  mundo  em outras cores
e eu as vejo sempre, sempre
quando meus olhos azulam...

regina ragazzi


terça-feira, 6 de novembro de 2012

Coisas da vida...


Entardeceu
Como a sombra da árvore
Que lhe servia de abrigo
Aos poucos foi se desconstruindo
Desfazendo-se do seu mundo
Descolorindo seus sonhos
Apagando a sua história
Até que nada mais lhe restou na memória
Esvaziou-se
Era só uma caixa vazia
Onde eu estava... se nem existia??

Assistindo inútil à tudo
Mas ela nem percebia...

regina ragazzi

sábado, 3 de novembro de 2012

Voltarei sim no dia da saudade...



Sinto na minha alma
o eco das tuas palavras,
palavras vividas
sofridas por uma vida
sem sentido,
sem amor,
mas com esperança!

Vida por viver,
mas sonhada!

Através dos sonhos
de cada dia,
constróis os castelos
do carinho, do amor
que deste,
mas não recebeste!


Sinto ainda
o eco das tuas palavras
envoltas em lágrimas
que lavarão o passado,
para olhares o futuro,
com ansiedade...

Meu amor
Não aguento mais
Estar longe de ti;
Voltarei sim
no dia da saudade!

José Manuel Brazão


Para estar junto não é preciso estar perto e sim do lado de dentro!
Leonardo da Vinci

Ausências...


Outro dia virá...
E vieram, tantos e tantos dias
De sóis, de luas, de chuvas
Nem dá pra contar...

Flores crescendo nos jardins
Céu de todas as cores
Vento, mar...
Riso de crianças
Noites de amor
Ruídos, silêncios absolutos
Chegadas, despedidas
O azul, o vermelho, o negro
Sonhos, pesadelos
Soluços, gargalhadas
Olhares perdidos na multidão
Olhares fixos na imensidão
Vazios...
Carinho, porto, ninho

Outro dia virá
E vieram tantos e tantos dias...

regina ragazzi

sexta-feira, 2 de novembro de 2012

A vida vista por nós


Vida que desafia
Vida que tece teias
Vida que move as
pedras do tabuleiro

Vida que embriaga
Vida que fascina
Vida que morde
como se fosse um beijo

Vida serpente
Vida punhal
Vida braços que
empurram ao abismo

Vida...vida
Face reversa da VIDA
Imagem retorcida no espelho
Vida que às vezes me habita...

Regina Ragazzi


[....]

Abro
a porta da vida!
E que encontro?

Tudo
o que não desejo
para mim,
para os outros
e para o futuro;
o nosso destino!

Tudo
o que não avança,
que cheira a retrógrado,
a saudosismo,
a egoísmo,
a inveja, a desamor,
com indiferença
muita indiferença,
pela justiça social!

Tudo
que os homens
podem conquistar,
mas a cobiça
dos encapuçados
deixam-nos violados,
por momentos…

A nossa consciência,
ficará desperta
para uma nova era,
que nos libertará!

Pela porta da Vida
Luz entrará;
um clarão de Amor,
de justiça entre os Homens…

José Manuel Brazão

quinta-feira, 1 de novembro de 2012

Nostalgia...


Cada dia que nasce
a nostalgia percorre
teu corpo e alma
e fica dentro do teu coração!

Vives com olhar distante
vindo até mim,
olhas-me em imagens,
nas palavras e pausas...

O olhar se aproximou,
beijas os poemas,
sentes o perfume romântico
de cada um
- viveste dentro deles –
queres evitar de reler e reviver,
mas não consegues,
a nostalgia vive em ti!

José Manuel Brazão

Azul...


Já reparou que tudo passa, menos o azul?

Passa o tempo. o vento, o pássaro, a chuva, o perfume, a fumaça...
A vida passa...
as crianças crescem,
as estações mudam,
os amores acontecem e desacontecem,
A gente envelhece...
Mas o azul sempre está lá, no mesmo lugar, do mesmo jeito.
Nós lhe mudamos a cor, às vezes, mas ele continua azul.
Na nossa pequenês nem sempre nos damos conta do
significado de tanta imensidão
O infinito é o começo ... e nunca o fim...

regina ragazzi

quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Canto de não fazer nada...



Canto de não fazer nada
Apenas cismar à sombra
enquanto o sol passa

Não prender o vento
nem o canto do pássaro
Não guardar o perfume da flor

O dia segue em seu tempo de ir
Morre junto ao entardecer

Aos olhos ficam os azuis
que se viu... que ainda se vê...

regina ragazzi

terça-feira, 30 de outubro de 2012

De quando...

Saberia dizer das manhãs radiantes
debruçada à janela olhando o horizonte...
 Era só sonhos!
E das tardes ensolaradas dentro do meu peito
contando cada hora... cada minuto
entregue a uma preguiçosa espera
E das noites... das madrugadas cheias de lua
com estrelas chovendo em mim
Um vento trazendo de longe um cheiro bom de brisa
que se impregnava em meu corpo
E um sopro fresco do vento
balançando levemente os meus cabelos...
O céu era sempre azul!

Saberia dizer dos pássaros que me acordavam cantando
quando ainda nem havia amanhecido
Só para me verem sorrir!
E dos meus passos firmes por qualquer caminho
por onde eu decidisse ir
Havia cores de arco-íris vestindo a minha pele
E um perfume de flor menina atraindo as borboletas
Tudo era tão belo... e parecia tão real...

Saberia dizer da minha felicidade
 por não me sentir tão só
Estava cheia de mim...
Saberia dizer...
e só de lembrar ... já me sinto feliz...

regina ragazzi

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Minha Amiga Mineira:: Regina Ragazzi


Mulher determinada,
farol da família,
acompanhas o caminho
de filhos e neto!

Como Poeta
encantas és doce
nas palavras,
muitas com nostalgia,
outras de alegria
e uma esperança infinita!

Assim nasceu uma amizade
que nem a distância impede
do apoio fraternal,
que me doas
como minha Amiga Mineira!

José Manuel Brazão

Para ti minha querida Regi, Poeta Regina Ragazzi


domingo, 21 de outubro de 2012

Pela noite um novo amanhecer


Sim... eu poderia chorar esta noite
Como em tantas outras já fiz
Mas escolhi que ela será diferente

Ao invés de chuva e frio
(como acontece agora lá fora)
Quero no céu o pratear de uma lua Cheia
Rodeada por estrelas de todas as cores
Bordando o céu em desenhos cintilantes

Uma brisa fresca fazendo dançarem as folhas
que se soltam de uma frondosa árvore
E trazendo até mim um perfume suave
Cheio de boas lembranças e muitas saudades

Um ondular leve das águas do rio
Com flores coloridas à sua margem
E um doce canto de pássaros
Ecoando por toda parte

Quero uma noite que me deixe serena
Que me encha os olhos de beleza
E meu coração e minh'alma de felicidade

Nunca é tarde ... nunca é tarde ...

Regina Ragazzi

[....]

Pela noite vem a magia,
o silêncio, a reflexão!

Vem a a Lua,
com a paixão
e o amor!

Vem a nostalgia,
com a tristeza
e o choro!

Vem o sonho
de ideais, ambições,
lutas:
conquista ou derrota,
mas com a esperança
que o amanhecer
traga a alegria
de um novo dia,
que faça esquecer,
aquele choro…!

José Manuel Brazão

sábado, 20 de outubro de 2012

Divagando


Por onde caminha a história
Quantas voltas ela ainda vai dar
O fim não me preocupa,
mas o que o antecede
Inquieta aguardo,
enquanto as estações
vão mudando em mim,
vertiginosamente
 Me lembro do ocaso...

Esse pré pensamento
(Tão fora de hora)
adianta uma angústia
que não eu não deveria sentir
Tudo corre feliz em mim

Há muitos (talvez) no amanhã
e eu insisto em certezas
E tomo por certo
o que ainda há de ser
(ou não)

Essas introspecções às vezes
me pegam de jeito
e demora um tempo
pra eu apagar essa sombra
que se hospeda em meu peito
Mas um dia sem mais, ela se cansa
e vai embora
Então me ajeito...me endireito...

regina ragazzi

sábado, 6 de outubro de 2012

Amor de alma


 Quando o amor é de alma
É maior que o coração
Muito mais que a razão
Inexplicável sentimento
Acima de qualquer compreensão

Quando a alma sofre por amor
É maior que o coração
Abismo imenso
Vazio ... solidão ...

Tantas almas se procuram
Tão poucas se encontram
E menos ainda experimentam
tão intenso sentimento

Amor de alma
Intenso de viver
Difícil de esquecer ...

regina ragazzi

domingo, 30 de setembro de 2012

Tão só...


O que me trouxe a noite
foi uma tristeza profunda
Uma solidão absurda
e inexplicável...

Eu sei que vai passar
Mas é tão ruim...

Escuto tantas palavras
Não digo nenhuma palavra
Guardo tudo para mim

Depois fico assim
Precisando de um ombro
De um consolo
De alguém que cuide de mim

regina ragazzi

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Enquanto durmo...


Enquanto durmo
Cai um orvalho na flor
O vento passa num sussurro
Num doce cantar...

A lua ainda não se deitou
Nem vai se deitar tão cedo!
Ela é a musa
Quantos poetas nela
Essa noite vão se inspirar...

Enquanto durmo
A rua está quase deserta
Quase...
 Vez em quando alguém passa por lá
Alguém chegando de uma festa
Alguém indo trabalhar...

Um cão notívago late
A noite inteira
Procura companhia
Na noite fria...

Enquanto durmo
Uma meia luz
Dentro de um quarto
Um casal acordado...

Em outro
Uma janela aberta
Uma cortina aberta
A flor na janela
É primavera...

Enquanto durmo
Silêncio e escuridão
Não vejo a vida passar
Mas eu sonho...

E no meu sonho a vida passa
Cheia de luzes e cores...
Enquanto durmo
Não tenho pressa de acordar...

regina ragazzi 

terça-feira, 25 de setembro de 2012

Poema e poesia


Depende do meu olhar
a intensidade da minha poesia
Pode ser que um dia
ao abrir a minha janela,
eu veja em meu jardim
um amontoado de estrelas
ao invés de flores
Pode ser...

Pode ser
que eu nunca veja estrelas
onde há flores,
e que as flores sejam mesmo
só flores no meu jardim


Depende da minha poesia
a construção do meu poema
Sem ela, ele seria só versos
sem cor, sem brilho, sem emoção
E as flores do meu jardim
jamais poderiam ser estrelas
Não poderiam ...


O que faz de mim um  poeta
É ter olhar de sonhos
e uma alma de arco-íris
que guarda em cada cor
uma emoção que sinto

Quando sonho,
ela as derrama nas
imagens que crio
e então esses sonhos
ganham vida
 e em minhas mãos
viram poemas
Poemas com poesia

regina ragazzi


segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Deixemos o tempo assim...


Tenho dias assim
de acordar alma
Abrir as janelas
e mirar o infinito
E ali eu fico
a buscar lembranças
a viver saudades...

Sinto uma inexplicável calma
me envolver, me proteger
Porque em dias assim
me permito expor
toda a minha fragilidade
de alma....de coração...
toda a minha vulnerabilidade

E não me importo com a tristeza
que eu possa sentir
Nem com as dores
que venham me apertar o peito
Eu apenas vivo o momento
É o meu desejo...

Dias assim
Me mostram que não preciso
ser fortaleza
Que não preciso ser perfeita
Que tenho que ser apenas "eu"
Do meu jeito

Dias assim
fazem maravilhas em mim
porque sou capaz de passar por eles
vivê-los intensamente
e depois deixá-los ir.

Regina Ragazzi


[....]

Deixo o tempo
esquecer as mágoas que vivi,
os desenlaces que superei,
as lutas que travei.

Deixo o tempo
lembrar as alegrias que vivi,
as tristezas que superei
e este amor que sempre viverei!

Deixo o tempo
fazer-me acreditar
em tudo o que não vejo,
mas sinto...

José Manuel Brazão


quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Tua Poesia é um jardim!



Tua poesia é um jardim
que me encanta e invade minha alma
e de teu coração saltam palavras
de tua alma vêm flores
com um aroma especial
de grande carinho e amor,
que eu abraço
e meu coração pulsa
como coração poeta
provocando em mim
poemas e mais poemas,
para a Poeta e a Mulher,
que já vivem em meu corpo e alma
e serão momentos de intenso amor
por ti querido, sentido
e por mim desejado
num tempo que é o nosso “mundo”
sonhado, prometido
e agora concretizado!

José Manuel Brazão