Seguidores

sábado, 31 de março de 2012

Perdoa-me!

Perdoa
este amor assim!

Um amor
arrebatador,
sem limites,
mas querendo
teu corpo e tua alma!

Um amor
que sinto
sem saber explicar,
mas apenas viver
com ele e para ti!

Um amor
que morrerá comigo,
porque só eu o entendo,
só eu o sinto
e quero sofrer assim…

quarta-feira, 28 de março de 2012

Não há vontade que se acabe!

Vivo em ti
mesmo que a Vida
nem sempre esteja próxima!

No teu corpo escondes
o que te vai na alma,
amor cúmplice
e um coração
que vive junto do meu!

Corpos que se consolam
nos momentos só nossos,
que sonham com o belo da Vida,
com o momento certo
e seus corações clamam:
não há vontade que se acabe!

 José Manuel Brazão

terça-feira, 27 de março de 2012

Vens do mar!

Vens do mar,
desse mar imenso,
que nos distancia,
mas nos aproxima!

Quando nos vimos
em poucas palavras
nos sentimos
com carinho,
afecto,
e um doce amor!

Te vi como um anjo,
mas vieste do mar
e serás uma sereia,
sereia do amor!

José Manuel Brazão

Flor...

Enquanto possível
Ser flor e ser bela
Fresca como a brisa
Cor de aquarela

Saldar o dia que chega
Trazendo o sol ou chuva
Assim será 
Como a natureza desejar

Dar de si o perfume
Que será sempre lembrado
Porque perfume de flor
Nunca se esquece...

Ainda que o tempo
Lhe roube o viço
E lhe deixe sua marca
Será flor...sempre flor...

Eternamente flor ...

regina ragazzi

Folha que cai ...

A visão que tenho aqui de dentro
É de pura melancolia
Na chuva que bate na vidraça
Há uma sonoridade nostálgica
Um canto de despedida da folha
À vida ...

regina ragazzi

sábado, 24 de março de 2012

Acalento ...

Ofereço-te o meu silêncio
Aquele que te acolhe sem que saibas
Dou-te o meu sorriso mais bonito
Mas jamais o verás em minha boca
Te dou meu ombro pra chorares
Mas não o sentirás
Sequer sentirás  o meu abraço
Ou a minha mão que acaricia a tua face
Não importa... estarei contigo
Onde fores... por  todos os lugares

Achastes então que eu falaria
Desta dor que plantastes em meu peito?
Ah...não, meu amor! eu não diria
Não te magoaria deste jeito...

regina ragazzi

quinta-feira, 22 de março de 2012

Um lindo entardecer...

Entardecia à luz do arrebol
O sol já se despedia
E a lua já vinha fria
Como fria a noite vinha
No final de uma tarde outonal

O vento soprava ligeiro
Balançando o arvoredo
E um lindo tapete vermelho
Já se formava no chão

Pássaros em revoada
Voavam de volta pra casa
E seus graciosos voos
Faziam desenhos no céu

Ao longe, na velha estrada
Estreita e empoeirada
Vez por outra um carro passava
Quebrando o silêncio usual

O rio já se aquietava
Solitário e manhoso
Todo o campo descansava
No entardecer preguiçoso

regina ragazzi

terça-feira, 20 de março de 2012

Esses olhos tristes


Esses olhos tristes
Olhos de outono
Como viajam esses  olhos
de cores sombrias!
Olhos de noite,
de madrugadas insones
Olhos que miram o horizonte...

Ah... esses olhos marejados
Visão embaçada
Tão tristes e tão belos
O que verão nessa estação?

Olhos amenos
Olhos de poesia

Ah ...Esses olhos
emoldurados por um rosto
tão bonito!
Por que será que neles nunca é verão??

regina ragazzi

segunda-feira, 19 de março de 2012

Interlúdio

Ao romper da aurora, despertam os pássaros
adormecidos  nas copas nuas das árvores
É outono enfim ...

Se preparam para o primeiro voo do dia
Entoam seus primeiros cantos
entrecortados pelo assobio do vento
compondo com ele uma doce sinfonia

A nostalgia paira no ar
Na solidão das árvores
sem a presença das folhas,
das flores que as vestiam
Na delicadeza desses  cantos
que por todos os cantos se ouvia
Pois tudo em volta era silêncio

Manhã cercada de poesia
Melodiosa manhã
Cores da nova estação enfeitando o dia
Cheia delirismo e beleza

regina ragazzi

sexta-feira, 16 de março de 2012

Este amor nas costas da Lua

Este amor vivido
nas costas da Lua
num silêncio
que só nós sabemos
e compreendemos!

Ninguém
nos roubará
a cumplicidade,
a paixão vivida
de um amor sem igual!

Dias angustiantes
pela saudade sentida,
noites delirantes
pelo reencontro
destes amantes,
que a Vida
os encaminhou
para um grande amor,
perturbante
mas consolador…

José Manuel Brazão

quinta-feira, 15 de março de 2012

Chama de amor

Cruzámos nossas vidas
gerámos o nosso amor
acendemos a chama,
a chama de amor,
sempre viva
na nossa autenticidade,
convicção e dedicação,
dum sonho lindo
que o destino tornou realidade!

Chama de amor
sempre viva,
que tu e eu
somos seus donos
e donos do tempo
que há-de vir...

José Manuel Brazão

Querido amigo Zé.
Que bela declamação ao Amor e com um fundo musical perfeito.
A chama do Amor é aquele que só dois seres que se amam podem possuir e ter acesso. A essa chama só esses mesmos é que podem cuidar, tratar e fazer que não se apague.
Mais um lindo poema, uma linda forma de amor.
Abraços e Felicidades.
Marlene

domingo, 11 de março de 2012

Amor por ti

Amo-te
e sempre te amarei!

Somos
um para o outro!
Tu mulher de paixão
eu suando amor,
dá um grande amor!

Vivemos este amor
em nossos silêncios,
com sofrimentos,
com lutas interiores,
mas com corações
entregues a este amor,
arrebatador,
lindo e profundo!

Sofres muito
por mim!
Vês duas pombas a voar
e acenas para a favorita!

A da Paz!

Já poisou
muitas vezes no teu ombro
e tu choras
por tanto carinho
e por não a levares contigo!

Sabes
que ela voltará
todos os dias,
à mesma hora
e aparece a tua alegria
dum amor vivido,
conquistado!

Continuamos
os nossos silêncios,
sempre com saudade,
até ao momento
em que este amor,
será amor eterno …

José Manuel Brazão


Meu Poema, minha Vida!

O espelho que não mente


Olho-me em ti
como meu companheiro
de todas as horas
vivendo as minhas angústias
por erros que não apagam
por amor que se pensou bem doado
vivendo as minhas tristezas
por querer ser melhor hoje do que fui ontem
na busca de me amar
para saber amar os outros
numa luta pela Vida
sempre constante, sem dimensão...
vivendo as minhas alegrias
dum sol nascente
com raios de esperança
e pensamento seguro
num caminhar
com corpo e alma renovados
e  a mão divina
ensinando o caminho libertador!
E olhando para ti
espelho da minha Vida
pela minha face lágrimas
com mistura de verdade e esperança,
 uma força que vive em mim
e com humildade aceitar
os desígnios de Deus
num destino que em mim existe
e olhando-te meu espelho da Vida
tu nunca me mentirás!


José Manuel Brazão

* Quem me conhece sabe que este poema é mesmo um espelho de mim *

sexta-feira, 9 de março de 2012

Ouves-me...

A minha voz
ecoa na tua mente!

Pensas
nas minhas palavras;
o meu coração fala
e tu escutas!

Reflectes
e achas a razão;
compreendo-te
e tu ouves-me…

queres responder
mas tens medo de te perder!

José Manuel Brazão



Luz nessa saudade

Só nessa Luz
existe a serenidade
que meu corpo aguenta
esta saudade.

Um sentimento intenso
de nostalgia constante
faz-me esperar esse reencontro,
aqui ou no Além...
Nossas almas permanecem
numa só Vida!

José Manuel Brazão

Como eu desejo teus beijos!

Nestas horas do meu silêncio
em que a saudade mora no meu peito
e neste “mundo” que me rodeia
só vejo a tua imagem,
os teus susurros
o eco de te amo demais,
e sinto o teu melhor beijo!

Vem, quero teu corpo por inteiro,
nos prazeres mais intensos...

José Manuel Brazão





Meus poemas...

É no peito que guardo meus melhores poemas
Arquivo de todas as minhas emoções
Rabiscos que traço somente em pensamento
Rascunhos que faço sem usar as mãos

Meus poemas por vezes são jardins abandonados
Onde crescem ervas que não consigo arrancar
São dias de chuva, beiras de precipícios
São pedaços meus que não posso juntar

Por outras vezes são janelas que ficam abertas
Por onde entram a luz do sol, das estrelas, do luar
São rios calmos longe das fortes correntezas
São paisagens coloridas que se refletem em meu olhar

É no meu peito que guardo meus melhores poemas
Arquivo de todas as minhas emoções
Meu livro secreto, somente eu o leio
E é nele que aprendo as  maiores lições

regina ragazzi

quinta-feira, 8 de março de 2012

Já não sei para onde vou...

Não sei para onde vou!
Mas que seja um sítio,
com paz, harmonia
e amor.
Que se acabe a dor
que trago dentro de mim,
as tristezas, as angústias.

Que relembre:
os momentos bons
a quem dei amor,
em troca de nada.
Estar bem comigo
com os que me amam
e com Ele …

Com as poucas forças
eu retome o meu caminho!

Não peço mais nada,
dou todo o Amor que me resta!


José Manuel Brazão

A Poesia em mim...

O que me cura é a minha poesia
É esse  meu olhar que transpõe as barreiras
que criei em meu peito
Que  seca todas as minhas feridas
Que cala meus lamentos
Que refrigera a minha alma
quando me permiti enxergar o belo
 em tudo que vejo
Nas coisas simples, nas diminutas coisas
que passam à outros olhares ,despercebidas
É esse meu olhar que colore a vida
quando abro os olhos e penso” estou viva!”
Quando   na minha primeira visão do dia
 mesmo que eu veja o cinza,
ainda assim sinta a poesia brotando de dentro de mim
Na semente que plantei e virou raiz e cresceu e virou flor
A poesia me ensina a entender o significado da vida,
mais que qualquer filosofia
Me ensina a aceitar os desabores, as dores ...
Enfrentar todas as intempéries com mais sabedoria
Eu vivo a poesia e ela está viva em mim
em todas as minhas horas em todos os meus dias

regina ragazzi

No caminho das emoções: DIA INTERNACIONAL DA MULHER ( O valor de uma Mulher )



No caminho das emoções: DIA INTERNACIONAL DA MULHER ( O valor de uma Mulher ):

quarta-feira, 7 de março de 2012

Ainda sou pequeno demais...

Daquelas noites  sem dormir,
mas tranquilo que permitiu reflexão
muita interrogação,
tentativa de abrir-me à Vida!

Pensei em muitos de nós,
família, amigos e anónimos.

Vi e senti o que muitos
já viveram, sofrendo,
aceitando com resignação
o que a Vida lhes entregou!

Perante estes exemplos e lições
na Vida ainda sou pequeno demais!

Acredito em Deus,
sinto-o através da Natureza,
mas preciso de mais proximidade
e aí vou avistar a porta da felicidade
com aquela Luz que me ilumine
e ajude os outros que Dele precisem!

José Manuel Brazão

segunda-feira, 5 de março de 2012

Existem palavras que choram!


Existem palavras que choram,
saem pela minha mão,
vêm dum rio de saudade,
num sofrido coração
com nascente em minha Alma!

Palavras que choram
por um amor vivido,
que parecia eterno,
mas o caminho
nem sempre é o ideal,
mas aquele que o destino
entrega como o real!

E assim no meu coração
e na minha alma
as palavras continuam chorando!

José Manuel Brazão

domingo, 4 de março de 2012

Nas manhãs

Cantava a canção e eu escutava
Me perdia em sonhos e ilusões
Viajava...
A janela sempre aberta
Meus sonhos iam ...e eu ficava...
Era um pássaro que sempre me acordava
E com seu canto, eu sonhava
Eu sonhava ...

regina ragazzi

Vivo só, vem; eu espero-te!

Vivo a angústia
de estar só,
de procurar carinho,
tolerância, simpatia
com fome de alegria
e conforto de minha alma!

Vivo a esperança
da tua companhia
do teu alento
da tua mão com caricia
do teu olhar confesso
enfim;
da tua presença iluminada,
vem e eu espero-te!

José Manuel Brazão


sábado, 3 de março de 2012

Ainda não anoiteceu!

Já vivi muito do que não esperava,
no tempo e no modo.

Vivi entre sonhos e pesadelos,
dias de sol brilhante,
noites frias de silêncio profundo.
ouvindo apenas o meu respirar,
desejando um novo dia
para ver se tudo seria o mesmo,
do ontem, do distante,
do amor coerente
que dou convicto,
mas ainda não anoiteceu
para eu abraçar
esse grande amor
que em mim vive
e eu quero sentir aqui
com o cheiro e curvas
do seu corpo,
o perfume da sua alma!

Depois
já poderá anoitecer,
as luzes apagarem-se
e eu...

José Manuel Brazão



quinta-feira, 1 de março de 2012

Um coração (sofrido) de Poeta

Escreves o amor
com angústia,
até com súplica;
fico perturbado
nem sei explicar
se precisas de ajuda,
se queres viver assim?

O teu silêncio
aparece nas palavras como asas
como alma que quer liberdade
na busca da felicidade
que sejam momentos felizes,
apenas momentos,
porque pedes pouco à Vida,
mas abraçados
serei o rio em teus lábios!

José Manuel Brazão

Sei
 que um dia
 os teus braços
 abraçaram os meus
 e que o teu calor
 foi rio
 nos meus lábios
 (que ainda corre)

Vanda Paz

Flores de sonhos

Um amor em pleno fascínio,
que nos levava a um jardim,
jardim muito nosso,
erámos donos dele e do tempo,
por lá vagueávamos,
idealizávamos um amor perfeito,
um futuro promissor!
Deitávamo-nos no chão,
olhávamos o céu
e nele víamos flores de sonhos.

Tudo era belo diante dos olhos,
que nossas almas alimentavam
e a Vida era diferente!

Voámos sem asas
como se fossem momentos únicos!

Um dia “acordámos” em plena utopia
e encarámos com coragem,
que este nosso  amor em viagem
chegara ao fim no ponto do jardim
em que víamos o céu com as flores de sonhos!
Pela última vez as vimos
e com lágrimas nos beijámos neste amor inabado!
... um dia nos reencontraremos neste Universo,
que desejamos de Amor, muito Amor!

José Manuel Brazão