Seguidores

terça-feira, 15 de janeiro de 2013

Espero-te!


Todos os dias,
espero-te.

Passam as horas,
parecem-me longas!
Chegas, dizes-me “olá”,
dás-me um beijo
de amor e de saudade.

Sentas-te no chão
e poisas a cabeça
no meu peito;
pedes-me mimos
e eu dou!

Sou homem de paixão
que olha para ti
e emociono-me
pela beleza que mimo;
acaricio o teu corpo,
ficas serena,
olhas para mim
e vejo os teus olhos
brilhantes, húmidos
e com lágrimas.

Que tens?
Sorris e dizes-me:
São lágrimas de amor
e de alegria!

Também preciso de ti
e espero-te sempre…

José Manuel Brazão


1 comentário:

amai disse...

Espero-te
muito especial esse poema,
pois amar é saber esperar.