Seguidores

domingo, 13 de abril de 2014

Na noite fria


Se encolhia todo num canto
 O corpo cansado tremia
 No rosto a palidez
 No peito nenhuma alegria

 Dormia sempre ao relento
 E naquela noite tão fria
 Veio chuva e rajadas de vento
 Destruindo o pouco que tinha

 Era tanto o sofrimento
 Que a Deus ele pedia
 Um pouco mais de piedade
 E a morte que alivia

 regina ragazzi




3 comentários:

Maurélio disse...

Triste realidade de nossas ruas.
Beijos amiga

Santa Cruz disse...

Regina amei ler, cá também é assim, já me tenho interrogado como pode um sem abrigo viver na rua.
Beijos
Santa Cruz

Sebastiana Sodre disse...

como sempre sua poesias lindas, essa e como um vida fria ao relento
sentindo a alma fraca e pede a deus que alivia sua dor , linda meus parabéns
saudades e abraços!!!